terça-feira, 4 de novembro de 2008

O Que Mais Nos Estará Reservado...

Cheguei a casa depois das nove. Mais uma reunião, desta feita, para receber instruções sobre o "magalhães".
Até podia contar-vos, aqui, esta nova novela da vida dos professores do 1º Ciclo mas, como estou tão cansada, não consigo. Portanto, para abrir o apetite, veio mesmo a calhar esta informação do SPZN, que já dá para mostrar um bocadinho da história.
Mas tem muito mais, muito mais... é mesmo uma história surreal....
Amanhã conto.
Agora vou fazer a marcação da reunião extraordinária para transmitir a informação aos profs da minha escola.
Como eles vão ficar contentes, como eles vão me agradecer.

"Sindicatos da FNE recebem diariamente elevado número de queixas de professores, sobrecarregados com tarefas e responsabilidades que não pertencem às suas funçõesME obriga professores a realizar actos administrativos e comerciais para uso dos computadores Magalhães.


A Federação Nacional dos Sindicatos da Educação (FNE) tem recebido, ao longo das últimas semanas, centenas de queixas da parte de professores de primeiro ciclo que estão a realizar tarefas burocráticas e administrativas relacionadas com os computadores Magalhães que, para lá de não dignificarem em nada a profissão docente, ainda mais sobrecarregam o tempo de trabalho destes profissionais, diminuindo-lhes o tempo para o que verdadeiramente conta: ensinar.Com efeito, os professores de primeiro ciclo estão a receber instruções do Ministério da Educação que, não só os obrigam a ocupar tempo desnecessário, como lhes imputa também responsabilidades que não devem passar por estes profissionais.A FNE considera completamente despropositada a acção do ME, ao exigir que os professores tenham de fornecer os documentos de adesão ao computador Magalhães, validando posteriormente as fichas e os termos de responsabilidade.Mais. Para a FNE é inaceitável que os professores tenham de assinalar a efectivação dos pagamentos às operadoras móveis, tratando também de receber e entregar aos encarregados de educação as facturas das respectivas operadoras.Outro procedimento inadmissível da parte da Tutela é o que está relacionado com a exigência que faz aos professores para sugerirem qual, em sua opinião, será a operadora mais adequada para cada aluno.Para a FNE estas obrigações revelam um desrespeito absoluto pela actividade docente, introduzindo até no acto de leccionar uma componente comercial abusiva. A FNE não é contra o uso de computadores na sala de aula, mas exige que o Ministério da Educação retire aos professores todas as tarefas administrativas que não comprometem apenas os próprios professores - desperdiçando recursos humanos no qual o Estado investiu - como também comprometem o sistema de ensino e a educação de todos os alunos envolvidos.Recorde-se que, já antes da implementação dos computadores Magalhães, os professores estavam a ser sobrecarregados nos seus horários, e por esse mesmo facto a FNE lançou a campanha “Tempo Para ser Professor”, registando já uma série de denúncias sobre todo o tipo de atropelos verificados nos horários e tarefas dos docentes.Se anteriormente os professores portugueses necessitavam de tempo para leccionarem, neste momento esse tempo está cada vez mais escasso, causando profundo mal-estar na classe docente, descaracterizando por completo o que deve ser o acto de ensinar, sofrendo com isso toda uma sociedade que deve depender de um sistema de ensino equilibrado." Porto, 02 de Novembro de 2008

1 comentário:

Nuno disse...

Olá! Todos os Professores se queixam do mesmo. É entrar em alguns links no meu blog e ver vários vídeos humorísticos, nos blog´s de professoras, dedicados ao Magalhães. Estou para ver o Profesor que não diga mal do Magalhães. Pelo que sei, a pouca informação que os Professores deveriam ter e não têm, é culpa da pouca formação que tiveram por parte de quem deu a formação do Magalhães. beijos e bom trabalho!