quinta-feira, 21 de agosto de 2008

À Descoberta do Sentido da Vida




Numa época em que já ninguém faz uso, conhece, interessa, utiliza eu sei lá que mais, os 10 Mnadamentos que um dia a mim me ensinaram e que serviram, no mínimo, de ponto de referência ética e moral, descobri algures este filósofo Keith Kent, que numa perspectiva actual nos faz uma análise e reforma dos mesmos.
Compartilhemos, ao menos, estes objectivos:

1.As pessoas são ilógicas, nada razoáveis e egocentricas. Amemo-las mesmo assim.
2. Se fizermos o bem, podemos causar motivações egoistas. Façamos o bem mesmo assim.
3. Se formos bem sucedidos, ganharemos falsos amigos e verdadeiros inimigos. Sejamos bem sucedidos mesmo assim.
4. O bem que fizermos hoje será esquecido amanhã. Façamos o bem mesmo assim.
5. A honestidade e a franqueza tornam-nos vulneráveis. Sejamos francos e honestos, mesmo assim.
6. Os grandes homens e as grandes mulheres, com as melhores ideias, podem ser derrubados pelos mais pequenos, com as perspectivas mais mesquinhas. Sejamos ambiciosos mesmo assim.
7. As pessoas protegem os oprimidos, mas apenas seguem os poderosos. Lutemos pelos oprimidos mesmo assim.
8. Aquilo que levamos anos a construir pode ser destruido numa única noite. Continuemos a construir mesmo assim.
9. As pessoas talvez precisem realmente de ajuda, mas poderão voltar-se contra nós se as ajudarmos. Ajudemo-las mesmo assim.
10. Demos ao mundo o nosso melhor, e haverá pessoas que nos desejarão mal. Demos ao mundo o nosso melhor mesmo assim.

KEITH, KENT M. - OS DEZ MANDAMENTOS PARA O NOVO MILENIO

1 comentário:

celeste carvalho disse...

Mais do que nunca a frase “Qualquer maneira de amor vale a pena” faz sentido.
O mundo vive tanto desamor, indiferença e ódio, que o afecto será sempre bem-vindo, qualquer que seja a sua forma.
Não falo apenas do amor romântico, aquele que acontece entre duas pessoas.
Falo do amor que flui o tempo todo, em todas as direcções, a qualquer hora.
Isso é o que falta.
Todos podem ser uma fonte de amor.
Sendo amorosos com cada um que encontramos, amorosos em tudo o que se faz. Só o amor dá segurança.
Só o amor tem razão, pelo simples facto de não pretender tê-la.
O amor aproxima as coisas mais distantes, ele vence o tempo o espaço e o amor universal é a única saída.